Como produzir mudas para hidroponia: Passo a Passo

Tanto o grande produtor de hortaliças, como a pessoa que possui uma horta hidroponica em casa, podem optar por comprar as mudas para posterior cultivo em hidroponia ou produzir suas próprias mudas.

 

Sementes para Hidroponia

Se decidir produzir suas próprias mudas o produtor deve dar preferência para sementes peletizadas, pois facilita o trabalho de semeadura, desbaste e plantio. Além disso, as sementes peletizadas têm alto vigor, poder germinativo superior a 90%, pureza superior a 99% e homogeneidade de germinação.

 

As sementes peletizadas recebem um tratamento denominados “priming”, que reduz o problema da maioria dos cultivares como a fotodormência (luz para poder germinar) e a termodormência (não germina em temperaturas acima de 23ºC). Embora esse tratamento seja muito eficiente para acelerar o processo de germinação, reduz a longevidade das sementes. Portanto, após a abertura de uma lata de sementes, mesmo com armazenamento adequado, deve-se consumí-la rapidamente

images

 

 

 Local de produção de mudas

As mudas devem ser produzidas em estufa-maternidade, coberta por filme plástico aditivado anti-UV e antigotejo, fechada lateralmente por tela sombrite 50%, que evita a entrada de 50% de luz e de insetos transmissores de doenças. A estufa-maternidade deve permanecer sempre limpa e muito bem fechada, evitando-se a entrada de pessoas que possam trazer qualquer tipo de contaminação.

 

Substratos para produção de mudas

Existem vários substrato que podem ser utilizados para produção de mudas para hidroponia. Entre eles estão a lã de rocha, vermiculita, algodão hidrófilo e espuma fenólica. Contudo, o mais utilizado é espuma fenólica, por apresentar um melhor desempenho em relação aos outros substratos.

 

Veja abaixo o desenvolvimento de mudas em placas de espuma fenólica.

espuma-fenolica

 

 

Produção de mudas para hidroponia: Passo a passo

1 – Dividir a placa de espuma fenólica ao meio ou a bandeja de lã de rocha.

 

2 – Higienizar as placas com água limpa.

 

3 – Fazer perfurações, caso as células ainda não estejam perfuradas e prontas para a semeadura. Os furos devem ser com diâmetro máximo de 1,0 cm. Observar para que os orifícios fiquem com no máximo 1 cm de profundidade. O orifício de forma cônica possibilita melhor acomodamento da semente e evita compactação da base, favorecendo a penetração da raiz.

 

4 – Efetuar a semeadura conforme determinado para cada espécie de hortaliça. No caso da alface, usar apenas uma semente se for peletizada, ou no máximo três, se se tratar de sementes nuas (nesse caso, há necessidade de efetuar o desbaste após a emergência, deixando apenas uma plântula por célula).

 

5 – Após a semeadura irrigar levemente a placa.

 

6 – Coloque a bandeja com a placa já semeada em local protegido com temperatura amena e com pouca variação.

 

7 – Mantenha a placa úmida para promover a germinação.

 

8 – No período de quarenta e oito a setenta e duas horas após a semeadura, transferir as placas para um local com luminosidade plena. Iniciar a subirrigação com a solução nutritiva diluída a 50%. A espuma ou lã de rocha deve ser mantida úmida, porém não encharcada.

 

9 – Quando a semente iniciar a emissão da primeira folha verdadeira (cerca de 7 a 10 dias após a semeadura), efetuar o transplante das células contendo as plantas para o sistema de hidroponia que irá completar o desenvolvimento da planta.

Artigo visto em: www.tudohidroponia.net

Alex Balduzzi

4 comentários sobre “Como produzir mudas para hidroponia: Passo a Passo”

      1. Boa tarde,

        Pode sim germinar as sementes peletizadas em terra, terra adubada, turfa, etc.
        A petetização consiste na aplicação ao redor das sementes de uma mistura proporcional de materiais inertes, na forma de pó, com granulometria muito fina e de um material cimentante. Inertes significa que as substâncias não interferem na germinação e no crescimento da planta. Esse recobrimento uniformiza o tamanho, o formato e o peso das sementes. Além disso, deixa a superfície lisa e regular. Com a peletização, a semente da alface, por exemplo, fica com um revestimento que a deixa semelhante a uma bolinha de sagu. O tamanho da semente de alface com pélete ao seu redor fica cerca de 20 vezes maior do que o tamanho original. Essa tecnologia facilita o plantio de precisão, garantindo-se número de sementes, profundidade e espaçamento exatos. E podem ser usados diferentes tipos de plantadeiras.
        Com a peletização, fica muito fácil colocar uma única semente em cada célula da sementeira e a economia nos custos de produção fica evidente. A peletização pode significar de 30% a 40% de economia de sementes. Na germinação, mais ganhos. Em contato com a água, os péletes se partem rapidamente, permitindo o máximo de acesso à umidade e ao oxigênio, fatores essenciais ao processo de germinação e de estabelecimento das plântulas no solo. A peletização permite ainda a incorporação de fungicidas para a proteção contra organismos causadores de doenças, que ficam concentradas ao redor da semente e, conseqüentemente no local de germinação. A segurança para quem planta é outra vantagem, porque o contato com produtos químicos fica minimizado.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.